Instrução Normativa estabelece padrão de qualidade e identidade para a cerveja

GR Vacation realiza treinamento sobre processos de intercâmbio
dezembro 6, 2019
Cantor sertanejo Juliano Cezar morre depois de infarto durante show em Uniflor
dezembro 31, 2019

Instrução Normativa estabelece padrão de qualidade e identidade para a cerveja

Compartilhe

Foto: Divulgação | Fonte: MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

As informações sobre os produtos incluídos na bebida devem estar no rótulo de forma clara e direta
A cerveja fabricada no Brasil agora tem novos padrões de qualidade e identidade, com a Instrução Normativa Nº 65, publicada nesta quarta-feira (11) no Diário Oficial da União. A norma traz as classificações e as denominações do produto, determina os ingredientes permitidos e proibidos e estabelece padrões de rotulagem para a cerveja.

A IN também permite a adição de produtos de origem animal como o leite e mel, além de madeira às leveduras do gênero Saccharomyces. A quantidade de malte que deve estar presente na cerveja não será alterada, que deve ser de, pelo menos, 55% do extrato primitivo da bebida, ou seja, da quantidade de açúcares que são utilizados pela levedura antes da fermentação. O eventual uso de outros ingredientes deverá ficar explícito na rotulagem.

A norma publicada hoje complementa a alteração feita em julho, no Decreto 6.871/2009, trazendo as disposições específicas para a produção, comercialização e rotulagem da cerveja no país. A IN também revoga instruções normativas anteriores que traziam regras para a produção do produto.

O coordenador geral de Vinhos e Bebidas do Mapa, Carlos Muller, lembra que antes desta norma, o consumidor não entendia as informações que constavam nos rótulos. “Simplificando as denominações que devem estar nos rótulos, a gente torna a informação ao consumidor mais clara e direta. Isso melhora a comunicação da real natureza do produto e a comunicação do produtor com o mercado consumidor, sem omitir informações e sem usar eufemismos para falar da característica do produto”, diz.
Segundo o diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Dipov) do Mapa, Glauco Bertoldo, a atualização desta norma finaliza um processo iniciado em 2012, com ampla participação da sociedade e do setor produtivo, com a realização de numerosas consultas e audiências públicas.

“A atualização complementa outras iniciativas de racionalização e melhoria dos serviços prestados pela Secretaria de Defesa Agropecuária, através do Dipov, como o registro automático de produtos de origem vegetal e a implementação do autocontrole em indústrias de bebidas, medidas que melhoram a prestação de serviços públicos e diminuem a carga burocrática da atuação fiscal sobre as empresas registradas”, diz Bertoldo.

O presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cerveja, Carlo Lapolli, também comemorou a medida. “A evolução não vai alterar o custo final do produto e vai facilitar o registro de novas cervejarias no Ministério. É consenso no setor cervejeiro que o consumidor está ávido por novidades e o país precisa acompanhar o mercado internacional, com produtos modernos e de maior valor agregado.”, diz.

Atualmente, o setor cervejeiro do Brasil é o terceiro maior do mundo, com mais de 1.000 empresas registradas e 14 bilhões de litros consumidos por ano. O setor garante cerca de 2,7 milhões de empregos com um faturamento de R$ 100 bilhões e arrecadação de impostos da ordem de aproximadamente R$ 30 bilhões.
WhatsApp Chat
Enviar Mensagem